Um pouco de Portugal – parte I

Hoje vou contar um pouco sobre nossa viagem à Portugal. Como visitamos algumas cidades vou dividir em alguns posts para ficar mais fácil a leitura.

Parte I

Fátima, Ourém e Coimbra 

Chegamos em Lisboa e no aeroporto mesmo pegamos o carro que havíamos reservado pelo site http://www.rentcars.com. Seguimos viagem rumo a Ourém, uma cidade distante 132 km de Lisboa.  Cabe abrir um parênteses sobre a excelente condição e infraestrutura das rodovias em Portugal! Autopistas modernas e muito bem cuidadas.

Eu queria visitar a cidade de Fátima que faz parte do concelho (sim, concelho com “C” mesmo) de Ourém. Como em Ourém há um castelo medieval, então estivemos em Fátima na parte da tarde e depois fomos a Ourém onde nos hospedamos numa pousada de charme, Pousada Conde de Ourém, próxima às ruínas do Castelo de Ourém.  Vou contar como foi em cada lugar.

Fátima

Fiquei admirada com toda a estrutura voltada aos fiéis de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Nesse ano se comemora o Centenário da aparição de Nossa Senhora aos jovens Lúcia, Jacinta e Francisco em Fátima (esses dois últimos foram canonizados).O Papa Francisco esteve lá em 13 de Maio para as comemorações.

Há a Capelinha das Aparições (local onde houveram a maior parte das aparições de Nossa Senhora aos jovens), a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, a Colunata, a Basílica da Santíssima Trindade, o Recinto de Orações, um local para se acender as velas e uma calçada que leva da Basílica da Santíssima Trindade até a Basílica de Nossa Senhora, por onde os fiéis cumprem suas promessas percorrendo o caminho de joelhos. É muita fé envolvida!

Ourém

Bem, como disse,  fomos dormir em Ourém numa pousada excelente. Jantamos na própria pousada um bacalhau delicioso! No outro dia fomos conhecer o Castelo e passeamos pelas ruas da cidade histórica. A vista do castelo é linda! Ventava muito mas isso não diminuiu a beleza e o encantamento do lugar.

Coimbra

Seguimos para Coimbra. Nos hospedamos próximo à Quinta das Lágrimas e Convento de Santa Clara. No primeiro dia demos um passeio pelas ladeiras históricas e íngremes, passando pelo Arco de Almedina e pela  Sé Velha,  até chegar na Universidade de Coimbra. Uma estrutura enorme, com estudantes de diversos lugares do mundo, numa das Universidades mais antigas e famosas da Europa. A vista da cidade lá do pátio da Universidade é muito bonita também. Muitos turistas!

À noite jantamos no Solar do Bacalhau, um restaurante com ótimas opções em bacalhau em peixes. Bebi água com gás Pedras Salgadas – sim, a água é levemente salgada! Tem bicarbonato de sódio na composição, que já serve como digestivo, né?

coimbra 3

O que mais me impressionou na cidade? Bem, imagino que devido à crise que Portugal atravessou, os monumentos históricos não são muito preservados. Achei a parte histórica um pouco decaída, prédios muito antigos sem conservação. Até a Fonte das Lágrimas e a Fonte dos Amores estavam com poucos cuidados. Fonte das Lágrimas que foi palco da história que deu origem ao ditado “Inês é morta”.

Vou contar a história:  O romance proibido de D. Pedro com a dama de companhia Inês de Castro deu o que falar no século 14.

Ele era filho de D. Afonso IV, rei de Portugal. E ela, empregada da mulher dele.

Como os casamentos da corte eram arranjados, Dom Pedro foi obrigado a se casar com Constança. Mas seu coração pertencia à dama de companhia da mulher, Inês de Castro.

Eles se tornaram amantes, um escândalo na corte. O rei, então, exilou Inês afastando-a de Pedro. Mas os apaixonados continuaram a se corresponder.

Após a morte de Catarina, D. Pedro ordenou a volta de Inês a Coimbra, para viver seu grande amor. O rei ficou furioso!

Certo dia, quando D. Pedro saiu para caçar, Inês foi degolada a mando do rei. Ao saber, Pedro ficou desolado.

Ele se vingou dos assassinos, arrancando-lhes o coração com as mãos.

Cinco anos depois de morta, D. Pedro mandou coroar Inês, pois jurava ter se casado escondido, o que fazia dela uma rainha.

Na ocasião, colocou o corpo de Inês no trono, pôs uma coroa em sua cabeça e obrigou toda a corte a beijar a mão do cadáver.(fonte: www.http://entretenimento.r7.com)

Que história, heim?!!!!

Próxima à Fonte dos Amores há muitos laços de fitas vermelhas e brancas amarradas nas árvores simbolizando os amores entre os casais que a visitam.

Só posso dizer que é um lugar que se celebra o amor perdido (fonte das lágrimas onde Inês chorou e onde foi morta) e o o sentimento que une os casais visitantes.

Bem, hoje vou ficando por aqui. Em breve conto mais sobre o que vimos em Portugal.

Um povo simpático e hospitaleiro, num país cheio de história!

Gostou? Curte aí abaixo…

Você tem algo a contar sobre Portugal? Alguma curiosidade? Compartilhe conosco.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s