Que horas ela volta?

Fomos assistir o filme “Que horas ela volta“, com a Regina Casé. Adorei. Ela está super bem no filme e, eles conseguiram retratar a rotina de uma casa sem ser maçante. As cenas nos fazem  lembrar de momentos que já vivemos com filhos e empregadas, com muita sensibilidade e humor. Vale a pena assistir e refletir.

Fica a dica!

Dia das Crianças! Dia de pirulito!

Dia das crianças! Se você quer comemorar sem gastar muito, o jeito é preparar em casa essa delícia! Hoje fizemos uma encomenda para atender a algumas crianças em comemoração ao dia delas, na segunda. Foram 150 pirulitos, que ficaram lindos e muito gostosos! 

Ingredientes

  • Biscoitos Maria (ou Bolacha)
  • Doce de leite em pasta
  • Chocolate em barra
  • Chocolate granulado colorido

Modo de preparo

Passe doce de leite numa bolacha, coloque o palito  e sobreponha a outra. Reserve. Quando todas estiverem prontas, pique o chocolate em barra e derreta em banho maria, tomando o cuidado de não queimar. Com cuidado, passe um pincel no chocolate e pinte os biscoitos. Passe imediatamente no chocolate granulado e deixe secar. Depois é só embalar usando a criatividade.

IMG_2347  IMG_2349  IMG_2345

Fica muito gostoso!!!!

Se quiserem encomendar é só entrar em contato conosco pelo telefone (41) 9191-1891, ou no e-mail minhacara.news@gmail.com. Podemos fazer para diversas ocasiões como festas infantis, brindes, maternidade, etc. 

IMG_2358

Beijos

Silvana e Julia

Festa Indiana – reunião de família

Todos os anos reunimos a família de meu marido em Itambacuri, para participar da festa da padroeira – Nossa Senhora dos Anjos. Já há alguns anos temos feito festas típicas de alguns países, quando nos divertimos muito no preparo, tanto das comidas como das roupas. Sempre procuramos informações sobre a história, costumes e comidas tradicionais. É um tagarelar sem fim da mulherada, com muitas ideias e pesquisas na internet. Depois nos reunimos para a compra dos tecidos, acessórios e objetos para decoração. Tudo feito em Itambacuri e numa cidade maior que fica há 30 km -Teófilo Otoni, onde o comércio é maior e com mais opções. Contamos com muita criatividade e cooperação, pois na hora do preparo dos alimentos e decoração, precisamos da ajuda de todos – inclusive dos homens. São momentos divertidos, com muita descontração e união. O resultado sempre é muito bom, pois o que mais conta é fazer em comum.

Já fizemos uma festa árabe, uma espanhola, uma italiana e nesse ano fizemos a Indiana. Fernando ( meu marido) baixou as músicas pela internet. Tirrena(primo) trouxe tecidos coloridos e montou a tenda. Gera(cunhado) providenciou as bebidas e o cantor ao vivo. Henrique(cunhado) acompanhou as finanças e ajudou na organização das mesas. Os moços – Ciro e Rafinha (sobrinho e filho) ficaram por conta do leva e traz. E as mulheres….essas ficaram com o resto.  Aline (cunhada) aprendeu a montar um sari e nos ajudou nas vestimentas. Neuza (cunhada) se encarregou de comprar mandalas e canetas e lápis de cor para que todas pudéssemos colorir e decorar as paredes. Fiquei encarregada do cardápio e coordenar o preparo e, todas, sem exceção, ajudaram na cozinha. Um verdadeiro trabalho de formiguinhas, durante o dia todo. Renata, Sarah, Aline, Catarina, Neuza, Anna Paula, Marina, Julia, Tia Santa, Márcia, Dona Aliete, as amigas Sayonara e Sofia (que vieram nos dar uma força na decoração)  as ajudantes Paixão e Edilene e eu.

IMG_2125                IMG_2127

O cardápio

Entrada

  • Bolinho de arroz com chutney de abacaxi e damasco
  • Torradas de pão com berinjela temperada

Saladas

  • Salada de legumes com molho de iogurte e hortelã

Prato principal

  • Arroz branco
  • Frango Indiano
  • Porco Vindaloo
  • Banana da terra à milanesa

Sobremesas

  • Arroz doce com especiarias
  • Besan Ladoo

IMG_6606IMG_6603IMG_6600

Todas as receitas serão postadas no blog, aos poucos. Já temos a do  frango indiano e do besan ladoo.

Festa animada com gente fina, elegante e sincera….

Beijo

Silvana

Encontro das Luluzinhas

Trabalhei na Caixa há alguns anos, o que me trouxe, além da experiência de lidar com atendimento ao público e as alegrias e perrengues inerentes a essa tarefa, amigas especiais. Foram muitos momentos ao lado delas, dividindo as tarefas do dia-a-dia nas agências por onde passei, mas também compartilhando nossa vida fora da Caixa. Nossos filhos brincavam juntos nos churrascos, nos passeios que organizávamos e nas visitas umas nas casas das outras. Tivemos a ideia de nos reunirmos uma vez por mês, somente as mulheres, para bater papo e colocar as fofocas em dia. Cada mês na casa de uma de nós, e cada uma levando algum quitute gostoso ou bebidas, tipo festa americana. Começou aí o Clube das Luluzinhas. E nesse clube nasceram grandes amizades.

Ontem, após ter morado quase 8 anos em Minas, em contato pelo facebook com algumas, resolvemos nos encontrar e por a limpo todo esse tempo longe. Algumas eu não via há 10, 15 ou 20 anos. Mas o mais importante disso tudo é que a amizade permaneceu. Sentadas na mesa de jantar de minha casa, conversando e rindo muito, algumas avós, todas aposentadas, pude sentir que era como se o tempo não tivesse passado. Apesar da distância e de todas as surpresas e tristezas da vida que passamos, somos as mesmas de sempre. Mais experientes, claro!. Não importa se tivemos um plus nos manequins ou nas rugas de expressão, hehehe. Somos mais do mesmo, melhores! Ontem iniciamos um novo ciclo de encontros e nosso objetivo é agregar mais amigas.

11180300_869292599825873_8015086661297722120_n                   11403252_869292619825871_3772794668932675869_n

Às que puderam vir só tenho a agradecer a acolhida de volta à Curitiba e, aos ótimos momentos que vivemos ao redor da mesa de jantar, ou da lareira, regados a vinho e espumante.

O principal que fica é a amizade. Valeu meninas!

Grande beijo em todas que vieram e àquelas que não puderam vir, mas que virão num próximo.

Silvana

Exposição do genial fotógrafo Sebastião Salgado no MON

Fomos ver a exposição “Genesis” de Sebastião Salgado  no MON e adoramos. Suas fotos são maravilhosas! Há lugares no mundo que se mantém originais, onde só há manifestação da fauna e da flora. São baleias, golfinhos, leões marinhos, pinguins, aves e tribos que vivem como há muito tempo. Impressionante! A sensibilidade do fotógrafo em capturar os momentos e nos trazer retratos de um mundo desconhecido nos brinda com uma grande esperança de que há condições de vivermos em paz com a Terra. Ainda dá tempo de você ir. Não perca!
sebastiao salgado
“O Museu Oscar Niemeyer (MON) recebe, do dia 6 de novembro de 2014 ao dia 14 de junho de 2015, nas salas 4 e 5, a exposição “Genesis”, do fotógrafo Sebastião Salgado. Com curadoria de Lélia Wanik Salgado, a mostra é o resultado de oito anos de trabalho, com 245 imagens selecionadas, divididas em cinco seções geográficas. Dentro delas, o visitante pode observar as fotografias com temas como montanhas, desertos, florestas, tribos, aldeias, animais. Seu trabalho se mantém forte, focado na temática social, fotografias em preto e branco e bastante contrastadas.
Fruto de mais de 30 viagens, o objetivo do fotógrafo com esta mostra é trazer ao público ambientes que ainda não tenham sido atingidos pela vida moderna e que se mantêm intactos na natureza.” (créditos- site do MON)
Cara e Coroa

Kandinsky no CCBB

Enquanto passeava pela Praça da Liberdade na sexta, me lembrei e decidi fazer uma visitinha ao CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) para ver a exposição de Kandinsky, que tanto me foi recomendada. O CCBB daqui de BH participa do Circuito Cultural da Praça da Liberdade, que é muito bem conceituado, eu, que nunca o fiz inteiro, fico doida pra ir só pelo tanto que falam bem.

Enfim, como a exposição principal atualmente é a do Kandinsky, foi a primeira à qual me dirigi. A exposição está em dois andares, e como costuma ter muitos visitantes, você deve começar pelo segundo andar e pegar uma senha, talvez tenha que esperar um pouquinho na fila. Como fui em um horário não muito cheio, estava vazio e entrei rapidinho. Tudo pode ser fotografado sem flash (só fui descobrir do meio pro final :/).

Kandinsky 3

Apesar de ter se formado em Direito, Kandinsky não seguiu a carreira. O artista russo se mudou para Munique, na Alemanha, em 1896, para estudar artes. No entanto, as aulas eram focadas no realismo, que não era bem o que ele gostava. Então, ele passou a desenvolver sua própria estética, e com influências impressionistas, ele retratava figuras humanas, objetos naturais e fazia menções à arte popular russa. Com o tempo os contornos ficaram mais imprecisos e sua arte passou a fazer vagas referências ao real.

     Kandinsky 2

O legal da exposição é que você tem esse contato com a própria arte do Kandinsky e suas influências. Vemos as xilogravuras em conjunto com a arte russa, as pinturas em óleo com a arte ancestral e por fim, as artes abstratas com a música.

A exposição é muito grande, mas vale ressaltar que nem todas as obras presentes são dele. Diversas obras de sua segunda esposa, Gabrielle Muenter, estão presentes, assim como as de artistas que acompanharam ou influenciaram Kandinsky, como Paul Klee e Jaap Schröder. As obras de Gabrielle são dignas de uma exposição só para ela, simplesmente genial.

Gabrielle : Gabrielle Muenter

No primeiro andar do CCBB temos a exposição “Movimentos”, do artista plástico André de Castro. O trabalho montado por André se baseia em retratos feitos a partir de silkscreen, um processo de impressão no qual a tinta é vazada através de uma tela preparada. Os retratos foram produzidos a partir de um contato do artista com partidários de várias manifestações, ele pediu para que eles respondessem à um questionário e solicitou o envio de imagens dos manifestantes, e também palavras, objetos, músicas e cores que revelassem a ideologia do movimento. O resultado é lindo e original. A exposição é pequena, mas bem representativa, vale a visita.

O CCBB BH fica aberto de quarta à segunda, das 9h às 21h. A exposição “Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto” ficará lá até o dia 22 de junho, já a “Movimentos” estará exposta até o dia 25 de maio.

CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil)

Praça da Liberdade, 450, Funcionários. Telefone (31) 3431 9400

Entrada Franca

Julia – A Cara